quinta-feira, 9 de junho de 2011

Nego de Ló


Ibotirama e suas lendas...
Eu deveria ter uns 06, 07 anos e a fama de Nego de Ló corria solta... De batismo se chamava Anísio Alves dos Santos e era natural de Oliveira dos Brejinhos. Morador ali do Sapé, foi um curandeiro famoso. Dizem que vinha gente do Oiapoque ao Chuí e até do exterior prá se consultar com o tal homem! Naquela época eu morria de medo só de ouvir falar no nome dessa figura, porque diziam que a sua intimidade com as cobras era tão grande, que se estivesse passando pela estrada e sentisse alguma próxima, bastava assobiar, prá bichinha vir rastejando aos seus pés. Hoje em dia, muita gente iria querer dominar as cobras desse jeito, já que andamos rodeadas por elas (rsrs). Gracinhas à parte, contam que ele rezava com cobras enroladas ao pescoço e que tinha dezenas delas. Também colocava sapos cururus sobre a cabeça para fazer os seus trabalhos. Contam também que curava gente, desmanchava feitiços, atava destinos... Duas senhoras da família já me confidenciaram que utilizaram dos seus serviços, quando os maridos andaram pulando a cerca. O curandeiro lhes deu um pozinho mágico que elas colocaram na comida dos queridinhos, imaginando em mandar pro espaço, as destruidoras de lares (rsrs). Acho que o pozinho tinha marcado o destino das vítimas. As duas amantes sem mais nem menos arrastaram mala Prá São Paulo, que naquela época, era longe de verdade! Só uma veio aparecer por estas bandas, 15 anos mais tarde, bem casada e esquecida do amante. Certa vez Nego de Ló apareceu na casa do meu avô e depois de ter ido embora, fui beber água num copo de alumínio que ficava na bandeja, próxima ao filtro. Depois que terminei, uma certa irmã mais velha, junto com uma tia, me disseram que Nego de Ló havia bebido água naquele copo. Imaginei ele beijando as cobras como diziam. E lavei a boca umas dez vezes, com a gargalhada das insuportáveis atrás, que ficavam imitando o rezador beijando suas crias. Acho que tudo não passou de uma invenção. E de repente a memória me trás essa história, que como tantas outras, vai virando poeira de estrada. Lanço aqui, para que ganhe ares de perpétua...

P.S. Na foto, euzinha, Tâmara Rossene, aos 04, 05 anos, no quintal de minha avó Anália, com o macacão que ela me trouxe de uma de suas viagens.


6 comentários:

  1. Sobrinho de Negro de Ló - José Alves dos Santos - que saiu de Ibutirama em 1970 para Brasília, procura por seus famíliares.
    Mãe: Aurora Ales dos Santos
    Pai: José Pereira da Silva
    Avós paternos: Antonio Pereira da Silva
    Ana Alves de Oliveira
    Avós maternos: Laudelino Ferreira dos Santos
    Tiotina Alves dos Santos

    Como você disse que sua família conhecia Negro de Ló, será que você poderia nos ajudar nesta busca ? obrigado Eduardo Pereira (61)99731914/84841834

    ResponderExcluir
  2. Conseguimos algumas informações e Samira que é casada com o Juiz Doutor Marcos do Fórum de Ibutirama é parente do Negro de Ló.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na verdade Cemirames é enteada de Nego de Ló e sua filha, Verana é casada com o Juiz da cidade.

      A viúva de Nego já é falecida.

      Excluir
  3. Convivi muito tempo com a viúva de Nego. Ela contava histórias fantásticas sobre o mesmo, seus clientes e as coisas sobrenaturais que operava. Realmente, figura folclórica.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá yanna, VC sabe me dizer se alguém da família de nego de ló segue o que ele fazia?

      Excluir
  4. Nego de Ló fazia parte do bando de Lampião?

    ResponderExcluir